Conteúdo

Roda de conversa debate Judiciário e Jornalismo na Escola da Magistratura

Roda de conversa debate Judiciário e Jornalismo na Escola da Magistratura

Diálogo, comunicação transparente e aproximação com a sociedade. Foram esses os principais pontos destacados durante o “Ciclo de Debates”, que teve como temática “Questões entre Judiciário e Jornalismo”. O evento, promovido pela Associação Cearense de Magistrados (ACM), em parceria com a Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec), ocorreu no Auditório da Escola, nesta sexta-feira (22/03), e contou com a participação de magistrados e jornalistas.

Foram convidados para a roda de conversa os jornalistas Plínio Bortolotti, diretor institucional do Grupo de Comunicação O Povo; Inácio Aguiar, editor de Vida Pública dos veículos do Sistema Verdes Mares; Kezya Diniz, editora de Política do Jornal O Estado e coordenadora de Jornalismo da Rádio Expresso FM; e Ariane Cajazeiras, editora e âncora do programa Tribuna Band News 1ª Edição, da Tribuna Band News FM.

No debate, mediado pelo coordenador da Escola, juiz Ângelo Bianco Vettorazzi, os participantes falaram sobre a quebra de estereótipos do senso comum e o trabalho em conjunto para a construção de pautas que atendam ao interesse social. “Nós precisamos caminhar para melhorar a interlocução entre esses órgãos”, considerou o magistrado.

Para o presidente da ACM, juiz Ricardo Alexandre, a iniciativa é positiva. “O debate é um ambiente leve onde a gente pode, de fato, ter uma conversa franca e respeitosa permitindo assim que, tanto os magistrados como a imprensa, possam refletir sobre a sua atuação”.

O convidado Inácio Aguiar ressaltou a importância do evento. “As relações entre as mídias cada dia mais estão se fortalecendo. Cada vez mais em que os jornalistas tiverem mais acesso ao Poder Judiciário, haverá a condição dele trazer à sociedade, reportagens de maior profundidade nos temas jurídicos e isso é muito importante porque, se a gente se aproxima, ganha principalmente a democracia do Brasil.”

“Um dos meios que o Judiciário tem para se comunicar com a sociedade é, em grande parte, pela imprensa. Então, quando a gente tem esse começo de relação, facilita de alguma forma que as notícias que realmente importam cheguem até a sociedade. É sempre muito bom esse tipo de oportunidade”, reforçou a editora Kezya Diniz.

Ao ser indagado sobre a importância da magistratura e do Poder Judiciário para as liberdades constitucionais, inclusive a de imprensa, Plínio Bortolotti respondeu que “liberdade de imprensa e a democracia são como siamesas: estão ligadas uma à outra”.

Na ocasião, o público também teve espaço para perguntas. Foi o caso do juiz Pedro Bezerra. “Esse estreitamento do Jornalismo com o Judiciário é extremamente importante porque a sociedade muitas vezes não é bem informada sobre determinados fatos que ocorrem, então cabe à imprensa informar da melhor maneira possível, clara e precisa. E essa aproximação entre os órgãos não pode deixar de existir. Quero parabenizar as instituições organizadoras do evento.”