Conteúdo

MEDALHA JÚLIO CARLOS: REPERCUSSÃO NA IMPRENSA

Vários veículos de comunicação fizeram a cobertura jornalística da entrega da Medalha Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra a oito personalidades do mundo jurídico e colaboradores da Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec).
Além de televisões e jornais, as assessorias de imprensa de órgãos ligados aos homenageados ou convidados também fizeram o registro da solenidade.

POR QUESTÃO DE ESPAÇO, REPRODUZIMOS ABAIXO APENAS DUAS COBERTURAS JORNALÍSTICAS, FEITAS PELOS JORNAIS DIÁRIO DO NORDESTE E O POVO

DIÁRIO DO NORDESTE

Serviços prestados
MEDALHA RECONHECE ATUAÇÕES NO DIREITO

Comenda foi instituída em 2006 e é um reconhecimento àqueles que contribuem para o ensino do Direito

Outorgada na noite de ontem, no auditório da Escola Superior de Magistratura do Estado do Ceará (Esmec), a Medalha Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra a oito personalidades em cinco categorias de atuação. A comenda representa uma homenagem prestada pelo Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) e pela Esmec em reconhecimento aos relevantes serviços de estímulo ao engrandecimento institucional da Escola e à excelência do ensino na área da Ciência do Direito.
Na categoria Colaboradores, receberam a comenda o Chanceler da Universidade de Fortaleza (Unifor), Airton Queiroz – que foi representado pelo reitor em exercício da Unifor, Roberto Ney Ciarlini -; o ministro Cesar Asfor Rocha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ); o professor Jesualdo Farias, reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC); e o professor Antonio Colaço Martins, reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).
Já na categoria Corpo Docente, foi agraciado José Filomeno de Moraes, professor da Unifor e da Universidade Estadual do Ceará (Uece). Como Professor Visitante, recebeu a medalha o professor Friedrich Müller, criador da Teoria Estruturante do Direito (TED).
Na categoria Corpo Funcional, recebeu a homenagem o assessor pedagógico e professor da Escola Superior de Magistratura do Estado do Ceará, Flávio José Moreira. Para Corpo Discente, foi homenageado o estudante da Esmec, Ronaldo Holanda de Queiroz.
“Recebam, senhores, o que lhes é concedido pelo critério legítimo e justo, fato real do reconhecimento da relevante contribuição de cada um à cultura jurídica e ao sistema sociocultural do nosso Judiciário”, frisou o diretor da Esmec, o desembargador Raimundo Eymard Ribeiro de Amoreira.

DISCURSO – Em nome dos agraciados, falou o ministro Cesar Asfor, lembrando que, desde as antigas academias gregas, “sabe-se que o constante aprimoramento intelectual das pessoas é favorecido pelas instituições que acolhem estudiosos e mestres”.

O POVO

Medalha de reconhecimento
ESMEC HOMENAGEIA CÉSAR ASFOR ROCHA

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro César Asfor Rocha, foi homenageado na noite de ontem com a Medalha Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra, em solenidade promovida pela Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará (Esmec).
O ministro foi premiado na categoria “Colaboradores“, onde o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, desembargador Ernani Barreira Porto, entregou a comenda diretamente às mãos de Asfor Rocha. Com a presença do governador Cid Gomes (PSB), oito personalidades foram agraciadas em cinco categorias diferentes.
A Medalha Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra foi criada pela portaria nº 3, de 7 de dezembro de 2006, para ser concedida a personalidades do mundo jurídico, além de profissionais e entidades que contribuem com o desenvolvimento e aprimoramento das atividades acadêmicas, administrativas e culturais da instituição.
Os homenageados foram escolhidos pelo Conselho de ex-diretores da Esmec, em reunião realizada no dia 23 de outubro do ano passado.

DIGITALIZAÇÃO
Durante o discurso de agradecimento, César Asfor Rocha reafirmou o esforço do STJ “no processo de digitalização de todas as peças de todos os autos de todos os processos que circulam na Justiça Brasileira e virtualizar os feitos, de tal modo que dentro de pouco tempo possamos dizer que não existem mais processos de papel“.
O ministro também disse, inclusive, que será do Ceará o primeiro tribunal a se desfazer totalmente de papéis, em meados do mês de julho. (Henrique Gonçalves – henriquegoncalves@opovo.com.br)