Conteúdo

MAGISTRADOS RESSALTAM QUALIDADES E VIRTUDES DO JUIZ ROBERTO JORGE

Desembargadores e juízes ressaltaram a figura do juiz de Direito Roberto Jorge Feitosa de Carvalho, falecido nessa quinta-feira (23/07), em decorrência de acidente automobilístico na BR-020, no município de Maranguape.

O desembargador Ademar Mendes Bezerra, presidente da Associação Cearense de Magistrados (ACM), lembrou que Roberto Jorge foi aluno dele na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC). “Ele sempre foi um aluno exemplar”, recorda.

Conforme Ademar Bezerra, Roberto Jorge era muito bem quisto como juiz de Direito pela população de Cariré, comarca na qual ingressou em 2001 e assim permanecia. “Todo mundo fazia excelentes referências a ele, como um juiz probo, correto e cumpridor de seus deveres”, destacou.

O presidente da ACM ressaltou ainda que o juiz estava presidindo, “com muito carinho e esforço”, a realização do III Congresso Ibero-Americano sobre Cooperação Judicial, que será realizado em Fortaleza entre os dias 23 e 25 de novembro próximos.

A carreira jurídica de Roberto Jorge foi iniciada em 1994, como assessor do desembargador Raimundo Hélio de Paiva Castro, aposentado em 2002. “Ele prestou ótimos serviços na época em que trabalhou comigo. Sempre foi confiável, um rapaz muito trabalhador. Tenho sempre as melhores referências, as melhores lembranças dele”, recordou o ex-desembargador. “Fiquei consternado ao saber do falecimento”.

No Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), Roberto Jorge iniciou relação de amizade com Marcelo Roseno de Oliveira, na época assessor de desembargador e hoje juiz de Direito da 3ª Vara da Comarca de Sobral. “O conheço há 13 anos. Ele era uma pessoa muito querida, a gente mantinha relações de amizade até fora da magistratura”, revelou.

“É uma perda muito grande para a magistratura. O Roberto era uma pessoa com um espírito empreendedor, se preocupou muito em construir grandes projetos para a magistratura. Tem uma longa folha de serviços prestados à Justiça”, ressaltou.

(Fonte: site do Tribunal de Justiça do Ceará, www.tjce.jus.br)