Conteúdo

Escola da Magistratura dá início ao II Seminário Cinema, Direito e Literatura, que prossegue até sábado

Escola da Magistratura dá início ao II Seminário Cinema, Direito e Literatura, que prossegue até sábado

m2
Juízes Mantovanni Colares e Antonio Carlos Klein.

O “II Seminário Cinema, Direito e Literatura: humanismo em três atos” foi iniciado na manhã desta sexta-feira (09/05), no auditório da Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará (Esmec), com a conferência de abertura a cargo do juiz de direito Mantovanni Colares Cavalcante, que falou sobre o tema “Pensar o Direito em Fernando Pessoa. A apresentação do convidado ficou a cargo do Juiz Coordenador da Esmec, Antonio Carlos Klein.

Para Mantovanni, o Seminário foi uma “iniciativa louvável” da Esmec, por propiciar um conhecimento multidisciplinar do Direito. Segundo ele, “ao nos debruçarmos sobre as diversas camadas da linguagem, interseccionadas, teremos uma visão muito mais ampla do Direito. O profissional desta área não pode ter apena uma visão estática da ciência jurídica, mas deve estar aberto para outras linguagens. Compreender o Direito, por exemplo, com o olhar da literatura”.

Sobre Fernando Pessoa, o magistrado disse que o poeta conseguiu “verter para o português o sentimento da alma”, desenvolvendo uma poesia sem estrutura métrica. “Pessoa não cabia em si próprio, e por isso criou mais de 200 heterônimos, dentre os quais os mais conhecidos foram Alberto Caieiro, Ricardo Reis e Bernardo Soares”, afirmou Mantovanni. Veja aqui os slides da palestra do magistrado.

OUTRAS PALESTRAS

Ainda no período da manhã, foram realizadas as palestras “Os Tambores de São Luís: Josué Montello e as Cotas Raciais”, a cargo do juiz Jorge di Ciero Miranda Bezerra.

Na parte da tarde, foi realizada a palestra “Os Miseráveis: adequação e aspectos sociais da sanção penal – direito ao esquecimento”, ministrada pela juíza Lia Sammia de Souza Moreira. Em seguida, haverá a exibição do documentário “Mandacaru” (2013 – 20min).

A palestra seguinte será sobre  “Capitães de Areia: Jorge Amado”, com o juiz Jaime Medeiros. Depois será debatido o tema “Pobreza, Infância e Violência em Fortaleza”, a cargo do jornalista Roberto Bonfim, da professora Maria de Fátima Neves da Silva e do mestre percussionista Juninho Brasil. No final da tarde, o tema em discussão será “O tempo no Direito e na Literatura”, a cargo do desembargador Durval Aires Filho.

Na manhã de sábado, está programada a exibição de cenas do filme: “O Mercador de Veneza” (2004), baseado na obra de Sheakespeare, seguido de um debate sobre “Shakespeare e Ihering: interpretação e justiça”, comandado pelos professores Antonio Carlos Klein e Flávio José Moreira Gonçalves.

O Seminário tem carga horária de 15 horas/aula e serão emitidos certificados de participação para os inscritos que tiverem um mínimo de 75% de comparecimento.