Conteúdo

Escola da Magistratura do Ceará participa, em Brasília, do I Curso de Formação de Formadores da Enfam

Flávio Gonçalves e Emílio Viana (os dois primeiros, da esquerda para a direita) representaram a Esmec no Curso (Foto: Divulgação)
Flávio Gonçalves e Emílio Viana (os dois primeiros, da esquerda para a direita) representaram a Esmec no Curso (Foto: Divulgação)

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.
A Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec) participou do 1º “Curso de Formação de Formadores: Capacitação de Docentes”, promovido pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), de 20 a 24 de agosto de 2012. O treinamento foi ministrado no auditório do Conselho da Justiça Federal (CJF), em Brasília-DF. A Esmec esteve representada por seu juiz coordenador, Emílio de Medeiros Viana, e pelo assessor pedagógico, Flávio Moreira Gonçalves.
O curso teve conteúdo direcionado a alguns conhecimentos teóricos da área da pedagogia, com vistas à formação de um corpo docente das escolas de magistratura, propiciando habilidades adequadas ao processo de ensino e aprendizagem de adultos.
Dentre as importantes explanações que foram feitas durante o Curso, destaca-se a ênfase no fato de que as Escolas Judiciais só podem ser consideradas como órgãos de educação formal se contarem com um projeto pedagógico, um planejamento e um plano de ensino para a formação dos magistrados.
A Enfam defende um projeto político para a formação do juiz, a nível nacional, que envolva os eixos humanístico e pragmático. No eixo humanístico, o ser humano passa a ser o centro da decisão judicial. Um ser humano social, econômico, situado num dado locus (subjetividade). O viés tecnicista e pragmático está presente na fase seleção e na atuação do Judiciário.
Quando a escola assume um princípio humanista, isto tem que se fazer presente nos seus documentos oficiais e principalmente na postura dos professores em sala de aula, com mudança das concepções dos formadores e dos cursistas. A escola também deve investir em pesquisas que envolvam seus eixos de formação (Exemplos: monografias sobre impacto de decisões, artigos sobre direitos humanos, etc). O formato dos cursos deve ser repensado com um viés mais epistemológico e menos tecnicista, alinhando todo o planejamento (do macro ao micro).

Participantes posam para foto oficial, no encerramento do Curso (Divulgação)
Participantes posam para foto oficial, no encerramento do Curso (Divulgação)