Conteúdo

Educação a distância da Enfam é reconhecida como modelo

A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) tem o desafio de dar continuidade a um grande projeto iniciado na gestão do ministro João Otávio de Noronha como diretor-geral, de aprimorar a cada dia a qualidade e o profissionalismo da educação a distância (EaD), afirmou o desembargador Nagib Slaibi Filho, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), em entrevista exclusiva à Enfam.

Segundo o desembargador, “as escolas atendem aos magistrados em condições adversas, na Amazônia, no sertão, nas regiões mais distantes dos centos de capacitação judicial e têm dificuldade de criar um padrão que possa ser perseguido pelos juízes e pelas escolas. A EaD da Enfam preenche essa lacuna e torna acessível a todo magistrado uma formação profissional, além de proporcionar o aprimoramento na construção do conhecimento ao longo da carreira, ressaltou Nagib Filho.

Quanto ao aspecto da integração entre os juízes das várias regiões do país, o desembargador considerou a EaD como um importante instrumento de troca de experiências e de conhecimento realizada pelos magistrados estaduais e federais.

O desembargador fez questão de deixar uma mensagem aos juízes. “Fica o meu convite e de todos os diretores de escolas da magistratura, no sentido de que deve ser visto o site da Enfam, em especial a plataforma de EaD, a fim de melhor conhecerem a oportunidade que têm para exercer o dever de formação e aprimoramento e o direito da promoção na carreira por merecimento”, conclamou Nagib Slaibi Filho.

Histórico

Alinhada com as novas tecnologias disponíveis, a Enfam já vislumbrava a importância de possibilitar que mais magistrados tivessem a oportunidade de vivenciar ações de formação e, mesmo antes de ter seu próprio ambiente virtual, iniciou parcerias com outras Escolas. Em 2009, realizou, juntamente com a Escola da Magistratura do TRF da 4ª Região (Emagis), o curso Estudo de Caso Jurídico.

Em 2010, a Escola Nacional deu início a sua plataforma EaD com o objetivo de ampliar e democratizar o acesso dos juízes de todo o país aos cursos de formação continuada e de formadores.

Avanços

A oferta de cursos a distância pela Enfam é crescente. Passaram de seis em 2013 para oito em 2014. A metodologia também passou por mudanças no último ano. Cada curso trabalha uma unidade por semana, conforme a carga horária estipulada. O material disponibilizado pela Enfam aos participantes é diversificado. São apostilas; videoaulas gravadas por professores que atuam nas mais diversas áreas de interesse do magistrado; além de um espaço virtual relevante para compartilhar experiências e esclarecer dúvidas sobre o conteúdo do curso: os fóruns de discussão formativa. Ao término de todas as unidades, o participante desenvolve um estudo de caso, como atividade final do curso. Tudo isso, sob o olhar atento de um tutor, que pode ser um juiz federal ou estadual.

 

FONTE: site Enfam