Conteúdo

Jornalistas debatem direitos da criança e do adolescente em evento apoiado pela Esmec

Jornalistas debatem direitos da criança e do adolescente em evento apoiado pela Esmec

O Instituto Terre des hommes Brasil realizou nesta quarta-feira (23/08), no Espaço O Povo de Cultura & Arte, o Café Restaurativo 2017, com o tema “Os Direitos Humanos no contexto da criança e do adolescente: uma reflexão sobre a abordagem da mídia”. O evento, que contou com o apoio da Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec),  teve por objetivo discutir com os profissionais da imprensa uma temática complexa que requer uma reflexão constante acerca da responsabilidade social dos veículos de comunicação no tocante à abordagem de pautas que envolve o público infanto-juvenil.

Nesta edição, o Café teve como palestrantes o sociólogo Thiago Holanda, coordenador técnico do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA) da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (AL-CE); a jornalista e professora Ana Márcia Diógenes, assessora institucional do Instituto Cuca; e o jornalista Plínio Bortolotti, diretor institucional do Grupo de Comunicação O Povo e apresentador do programa a “Debates do Povo” da rádio O Povo CBN 95,5 FM.

Para a Tdh Brasil, o Café Restaurativo se destaca por ser um momento de formação diferenciada por sua acolhida e pela informalidade, com a intenção de reunir pessoas envolvidas em um determinado tema para promover discussão, troca de saberes, sinergia e construção articulada de novas propostas de intervenção.

Para o jornalista Plínio Bortolotti, a forma como a imprensa aborda as questões relativas à criança e ao adolescente melhorou de forma considerável, considerando o modo como notícias sobre o assunto eram divulgadas há dez ou 20 anos. “O setor mais resistente da imprensa, para uma abordagem adequada, está nos chamados ‘programas policiais’, que veem as coisas por um prisma único e equivocado, sem a mínima preocupação em contextualizar o assunto. Portanto, insistir no debate é uma atitude necessária e são bem-vindas todas as iniciativa com esse propósito”, afirmou.

Na opinião da jornalista Ana Márcia Diógenes, iniciativas como o Café Restaurativo são uma possibilidade concreta de reflexão dentro do espaço da ação. “Estar junto com profissionais e estudantes de comunicação discutindo a abordagem cotidiana dos direitos humanos de crianças e adolescentes é uma ação concreta que contribui para uma visão aprofundada de contextos, para reportagens mais focadas, para entrevistas mais focadas”, disse ela.

Na opinião do sociólogo Thiago Holanda, a realização do Café Restaurativo voltado para a imprensa é considerada uma “grande oportunidade”, pois segundo ele, o debate sobre o papel da mídia na garantia dos direitos humanos é “premente”. “Hoje temos uma vasta programação na televisão, na rádio, em blogs na Internet que espetaculariza a violência e expõem as crianças e jovens a inúmeras violações dos seus direitos, o que reforça uma cultura de violência”, opinou.