Conteúdo

19o Encontro do Copedem encerra com carta que pede autonomia financeira para escolas

Relatório final do evento, que foi realizado em Manaus, de 5 a 7 deste mês, quer a independência financeira das Escolas da Magistratura de todo o Brasil.

Unificação de ensino, qualidade nos cursos e agora autonomia financeira. Esta foi a principal mensagem que ficou do 19o Encontro do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (Copedem), realizado em Manaus, de 5 a 7 deste mês.

A carta, que materializa as discussões dos 40 desembargadores que participaram desse Copedem, o primeiro sediado pelo Amazonas, resume o principal desafio dos diretores das escolas para o ano que vem: obter recursos que possam melhorar a qualidade do ensino e dar continuidade aos cursos gratuitos para magistrados.

A meta, de acordo com o aprovado pelos desembargadores e com o aval do presidente do Copedem, desembargador Antônio Rulli Junior, é incluir o orçamento das escolas no plano plurianual dos tribunais de Justiça de todo o País. “Isso é o que falta para perpetuarmos a existência das escolas de Magistratura”, afirmou ele.

Na opinião do o diretor da Escola da Magistratura do Amazonas (ESMAM) e vice-presidente do TJA, desembargador Flávio Pascarelli, “essa é uma conquista que vai consolidar a existência das escolas da Magistratura, além de garantir que o ensino de qualidade continue sendo ofertado para os juízes”.

Fonte:

Press Comunicação Estratégica – (92) 3584-0556 / 3584-1444

Betsy Bell – (92) 9978-3064

Loredana de Lima K. – (92) 9986-4064