Conteúdo

Esmec participa de oficina da Enfam sobre competências para o desenvolvimento de aulas

Esmec participa de oficina da Enfam sobre competências para o desenvolvimento de aulas

Hoje e amanhã (14 e 15 de junho) na Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam), em Brasília, está sendo realizada a oficina “Estruturação de competências para desenvolvimento da aula”, curso de 16 horas destinado a professores da Enfam e das escolas judiciais que concluíram o nível 1 do Curso de Formação de Formadores (FoFo). No total, serão 20 horas-aula, pois haverá mais 2 h/a a distância, a serem realizadas de 18 a 22 de junho.
A Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec) está participando da capacitação através de sua Coordenadora de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados e Servidores, Rosângela Maria Evangelista de Melo.
O objetivo geral do curso é permitir que o formador possa organizar a aula com vistas ao desenvolvimento de competências conforme as diretrizes da Enfam. A capacitação também permitirá ao participante: identificar teoria e concepções de estruturação curricular disponíveis na literatura educacional; analisar a lógica de estruturação curricular, para planejar e realizar aulas em ações educativas para magistrados; e estruturar objetivos na lógica curricular de competências cognitivas complexas, considerando o contexto de formação profissional de magistrados.
Ministra o curso a professora Lea das Graças Camargos Anastasiou, pós-doutora e doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora aposentada pela Universidade Federal do Paraná. Atuou como consultora para reforma curricular em matriz integrativa do Curso de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina, na Estadual de Londrina, na Unochapecó e no curso de Enfermagem da USP. Atua no curso de Pedagogia Universitária para docentes, coordenadores e assessores pedagógicos na USP desde 2007. Pesquisa reorganização de currículos em processos integrativos em parceria com o corpo docente institucional.

 

Prática

“Durante os dois dias de atividade, os participantes vão trocar experiência e vivência, desenvolvendo as práticas por meio de discussões, sistematizações coletivas e da interação entre o aluno e o outro aluno, o aluno e o conteúdo, e o formador e o aluno, havendo assim uma construção ativa e colaborativa do conhecimento”, explica a formadora Léa das Graças Anastasiou.

Também serão feitas simulações relacionadas a práticas relevantes para a estruturação e o aperfeiçoamento de competências do formador no contexto de ensino da magistratura.

Alguns dos temas trabalhados nas atividades, no decorrer da oficina, serão os seguintes: currículo e estruturação curricular, e as diretrizes da Enfam; competências, tipos, abrangência e desafios na descrição; e competências para os objetivos de ensino e de aprendizagem na formação.

.

Com informações e foto da Enfam.